Quando a COVID-19 surgiu, assumiu-se que o vírus induz apenas doenças pulmonares, porém novos estudos têm mostrado que todo o corpo é afetado. As consequências são tremendas. Compreender como o vírus afeta o corpo ajuda a encontrar e monitorar o tratamento, mas também ajuda a identificar e diagnosticar pacientes que não têm acesso à PCR.

O vírus entra no corpo via infecção por gotículas no nariz e na garganta e começa a se multiplicar dentro do corpo [1]. Caso o sistema imunológico não consiga interromper a infecção, o vírus começa a contaminar os pulmões [2]. Isso pode levar à síndrome da angústia respiratória aguda (SARA) [3]. A rápida deterioração em alguns pacientes pode ser causada por uma tempestade de citocinas, uma reação exagerada do sistema imunológico [4].

Mas outros órgãos além dos pulmões também podem ser afetados. Ainda não está claro como o vírus se espalha para outros órgãos e se os pacientes que não estão gravemente doentes são afetados. Estudos mostraram que um número significativo de pacientes hospitalizados apresentava lesões cardíacas ou arritmias [5, 6]. Entre outros órgãos, o vírus afeta o próprio sangue. Em um estudo, 1/3 dos pacientes de UTI apresentaram coágulos sanguíneos anormais, o que pode levar a embolia pulmonar ou derrame [7]. Isso explica os níveis elevados de dímeros em pacientes com COVID-19 e por que não apenas os pacientes com doença pulmonar têm alto risco, mas também indivíduos com doença vascular, como diabetes e pressão alta.

Um estudo mostrou que 27% dos pacientes apresentaram insuficiência renal. Partículas virais foram encontradas no rim, o que sugere ataque viral direto do órgão, mas a lesão renal também pode ser um dano colateral, causado por ventiladores e compostos antivirais. A tempestade de citocinas também pode reduzir o fluxo sanguíneo para o rim. Além disso, fatores de risco como diabetes também podem levar a danos renais pré-existentes. [8]

Os efeitos no cérebro são provavelmente subestimados e são necessários mais estudos. Foram identificados pacientes com encefalite por inflamação cerebral, convulsões e hiper reação do sistema nervoso simpático. Um estudo relatou traços do vírus no líquido cefalorraquidiano, sugerindo que ele infecta diretamente o sistema nervoso central. [9] As evidências sugerem que o vírus pode infectar até o revestimento do tubo digestivo inferior. A casca protéica do vírus foi encontrada nas células gástricas, duodenais e retais, o que sugere que o vírus se replica no trato gastrointestinal. [10]

Estudos demonstraram que 1/3 dos pacientes hospitalizados apresentam conjuntivite (olhos rosados e lacrimejantes). Ainda não está claro se o vírus infecta diretamente os olhos ou se esse é um efeito colateral. [11] Lesões no fígado e no ducto biliar também foram identificadas em pacientes com COVID-19. Ainda não está claro se o vírus afeta esses órgãos diretamente ou não. [12, 13]

Somente recentemente, danos a longo prazo nos pulmões e vasos sanguíneos causados pelo vírus foram identificados em pacientes que já estão curados [14]. Muito provavelmente, mais danos a longo prazo serão observados, à medida que mais e mais pessoas forem infectadas.

Para mais informações sobre os testes da DiaSys entre em contato conosco através do email: SAC@biosys.com.br ou no número 0800 015 1414

Grupo Biosys+Kovalent

REFERÊNCIAS CLÍNICAS:

1. Sungnak W, et al. “SARS-CoV-2 entry factors are highly expressed in nasal epithelial cells together with innate immune genes.” Nature medicine 26.5 (2020): 681-687.
2. Ziegler GK, et al. “SARS-CoV-2 receptor ACE2 is an interferon-stimulated gene in human airway epithelial cells and is detected in specific cell subsets across tissues.” Cell (2020).
3. Xu Z, et al. “Pathological findings of COVID-19 associated with acute respiratory distress syndrome.” The Lancet respiratory medicine 8.4 (2020): 420-422.
4. Ye Q, et al. “The pathogenesis and treatment of theCytokine Storm’in COVID-19.” Journal of infection 80.6 (2020): 607-613.
5. Shi S, et al. “Association of cardiac injury with mortality in hospitalized patients with COVID-19 in Wuhan, China.” JAMA cardiology (2020).
6. Wang D, et al. “Clinical characteristics of 138 hospitalized patients with 2019 novel coronavirus–infected pneumonia in Wuhan, China.” Jama 323.11 (2020): 1061-1069.
7. Klok FA, et al. “Incidence of thrombotic complications in critically ill ICU patients with COVID-19.” Thrombosis research (2020).
8. Diao, Bo, et al. “Human kidney is a target for novel severe acute respiratory syndrome coronavirus 2 (SARS-CoV-2) infection.” MedRxiv (2020).
9. Moriguchi T, et al. “A first case of meningitis/encephalitis associated with SARSCoronavirus-2.” International Journal of Infectious Diseases (2020).
10. Xiao F, et al. “Evidence for gastrointestinal infection of SARS-CoV-2.” Gastroenterology 158.6 (2020): 1831-1833.
11. Wu P, et al. “Characteristics of ocular findings of patients with coronavirus disease 2019 (COVID-19) in Hubei Province, China.” JAMA ophthalmology 138.5 (2020): 575-578.
12. Zhang C, et al. “Liver injury in COVID-19: management and challenges.” The lancet Gastroenterology & hepatology 5.5 (2020): 428-430.
13. Fan Z, et al. “Clinical features of COVID-19-related liver damage.” Clinical Gastroenterology and Hepatology (2020).
14. Nieß, A. M., et al. “Position Stand: Return to Sport in the Current Coronavirus Pandemic.” (2020).